sexta-feira, 13 de março de 2009

Seu Chico e Mula Manca.


Nos dias 14 e 15 de março (sábado e domingo), a Seu Chico grava seu primeiro DVD. A gravação vai acontecer na Estrela da Lapa, Rio de Janeiro.
Composta por alguns dos integrantes da "extinta" Mula Manca & a Fabulosa Figura e pelo pianista Vitor Araújo, a banda vem trilhando um caminho fixo nas casas noturnas do Recife e ganhando espaço por todo Brasil. Com um repertório completamente voltado para as obras de Chico Buarque, a Seu Chico estabilizou um status no grupo "banda cover" que é tanto positivo quanto negativo.
No lado positivo, me refiro à possibilidade dos jovens de hoje em dia reviverem as músicas de qualidade que participaram da construção do Brasil dentre os anos de 60 e 70. É divertido sentir "aquela" canção de Chico Buarque, de valor político, social e até romântica, com uma leitura diferente, com um tom mais livre. De fato a Seu Chico vem crescendo. A participação do pianista Vitor Araújo, que foi um grande destaque nacional durante o ano de 2008, proporcionando a valorização de todas as classes rítmicas existente em Pernambuco, foi de fato um jogo de popularização.
Mas o que me leva a questionar o negativo desse acontecimento, sem desmerecer a qualidade da Seu Chico e também, expondo muito uma visão pessoal, é o termino da Mula Manca & a Fabulosa Figura. De início, era Triste e se tornou Fabulosa. Acho que para os dias de hoje, Triste seria de melhor nomeação. A Mula Manca, como é chamada "pelos íntimos", era uma banda autoral, de extremo valor poético e sentimental. Música de carinho, arte, afeto. No decorrer da carreira, gravaram dois CD's (O Circo da Solidão e Amor e Pastel), mudaram de nome, estouraram dentro da cena pernambucana, sumiram do mercado fonográfico, abriram espaço para um projeto paralelo... Depois, se tornaram o projeto paralelo da Seu Chico e hoje, não existe mais. É um acontecimento triste, pois eles se deixaram levar muito mais pela questão financeira (sim, ok! a crise está grande!) do que a produção de música. É muito fácil sair se apresentando e lotando pubs nas cidades, atingindo todos os públicos e ainda ter um coro no fim da melodia. O valor de banda autoral para banda cover, é muito mais significante no processo de fortificação de uma carreira. O reconhecimento de um projeto de regravações é com certeza mais rápido e de fácil acesso. Ainda mais, quando se trata de músicas de Chico Buarque. Estamos também em uma fase de que "ser inteligente é gostar de tal escritor; entender de música é conhecer tal cantor" e todos esses ocorridos contribuem para a venda e exposição maior da Seu Chico.

Esta notícia se tornou muito mais opinativa do que informativa. Porém, é uma questão que faz de mim um pouco "saturada" de bandas que se deixam levar pela fama do que pela qualidade (volto a dizer, sem desmerecer a qualidade da Seu Chico). Que façam seus projetos paralelos, mas não anulem suas autorias e projetos.
Tantas bandas aí conseguem se dar bem com dois projetos (Mombojó + China x Del Rey; Eddie x Academia da Berlinda; Nação Zumbi x Maquinado + 3namassa + Sonantes + Autonomo) e se equilibram no mercado.
Enfim, quem sabe a Mula Manca volta, Vitor Araújo avança na sua carreira, a Seu Chico grava seu DVD e tudo volta a ser como antes.

4 comentários:

JOSÉ RAFAEL MONTEIRO PESSOA disse...

Posso assinar embaixo?

Cineclube Revezes disse...

espero ansiosamente que tudo volte a ser como antes, e fico feliz ao ver que alguém compartilha minha saturação.

Buuna disse...

depoisde quase um ano leio essa noticia... n acredito que n vou ter a chance de ver mula manca ao vivo um dia... peloamordedeus... a seu chico pode ser OTIMA, mas mula manca..... era perfeita... voltem... é so um apelo =(

Vny disse...

EU SIMPLESMENTE NÃO ACEITO QUE UMA BANDA COMO MULA MANCA ACABE. É MUITO TRISTE VER TANTO TALENTO DESPERDIÇADO.