sábado, 10 de julho de 2010

Berré

Uma oração à Maria Bethânia, deusa e divindade da música, por Rafael Almeida.






"Meu respeito, minha devoção.
A voz tão seca e grave.
Árvore crepitando na paisagem seca do sertão.
Eco supremo dos grandes nomes.
Meu sincero e devotado amor.
Sobre o mel derramdo no país.
Meu ofício ouvir e acatar tudo.
Minha paixão primeira e maior.
Dona de todas as cenas e palcos.
Meu coração bruto e sertanejo.
Toques regionais do meu ser.
Maria, minha.
E de quem mais se dedicar.
Apenas isso.
Voz que preenche todo meu vazio.
Vazio de amor.
Timbre forte e marcante.
Minha atriz primeira.
Minha Adela nunca realizada.
Joana martirizada no morro.
Voz maior de um grande e extenso mundo.
A ti, todo meu ouvido entrego.
Acalenta-me em todas as horas.
Para todo o sempre.
Minha senhora completa.
Dona de mim.
Dona de um dom supremo.
Voz rascante, de grandes gestos.
Meu guarda em teu canto
Hoje e sempre.
Amém.

*Para minha Bethânia, guerreira, guerrilha."

3 comentários:

Rafael Almeida disse...

Meu sincero amor. Só isso. Nada mais.

Melissa. disse...

amo Bethânia.

lindo post.

juanmarkus777 disse...

Grande e iluminado semblante que eternaliza cada momento, cada gesto, cada palavra, seja falada ou cantada. Eis tudo o que o universo precisa: a simplicidade e a grandeza dessa mulher que não termina tão cedo. É a força que nunca seca e brota do olho d'água,com a benção de Oxum e que quando evapora, se precipita em uma interpretação vigorosa,abençoada novamente, só que agora pelo raio de Iansã. Luz que ilumina o cotidiano alheio e que canta também a balada do lado sem luz, para que a tristeza se arrependa de sua tristeza e fique feliz com a chegada da nova aurora. Essa,à meus olhos, é a Bethânia, a cantora que Deus me deu, para cantar o meu caminhar. Salve a "Senhora do Vento Norte" com seu manto de sal e espuma!!!