segunda-feira, 3 de maio de 2010

Amor a morte a continuação

Fim da maratona Cine PE 2010. Chegou o dia do longa que eu mais desejava, Continuação, do jornalista e cineasta Rodrigo Pinto. O documentário não relata a biografia de Lenine e sim, acompanha todo o processo de criação do seu sexto e último disco, Labiata. De fato, o longa poderia ser "rotulado" de um making off para um futuro DVD do cantor e se engana quem chega pra assistir o documentário esperando depoimentos sobre ele ou o próprio Lenine falando de sua vida. Dentro do release do filme, o diretor Rodrigo Pinto deu um depoimento justo para sua obra: “Em vez de um documentário sobre o passado, algo consolidado, escolhi uma abordagem não retrospectiva. “Continuação” tem, sim, algo de biográfico. Mas em boa parte do tempo, o assunto tratado ali é o futuro.” Futuro, leveza, contemporaneidade, misturas sonoras entre o regional e o universal, isso é Lenine! Uma vez, Fábio Cabral e Alexandre Pontes, que na minha opinião são os maiores fãs de Lenine, soltaram uma frase que cabe direitinho para a maioria dos expectadores: “Sofro de Leninite aguda!” E é isso, esse documentário é pra quem já tem uma mera noção do artista brilhante que é o Lenine.

O documentário foi construído num período de nove meses entre Rio, Recife, Araras e Inglaterra. São cenas de estúdio, avião, palco, casa, estrada, camarim. Todas elas se entrelaçando entre a pluralidade cultural e toda a expressão que Lenine transmite da forma mais singela e completa. A descoberta de novos arranjos, a lembrança do passado, a primeira referência de música com vinil de Dorival Caymmi e Ary Lobo, a influência de parceiros, a discussão sobre novas tecnologias, a distribuição do seu novo álbum em cd, pen drive e vinil, tudo junto como ele próprio fala no filme: “Acabou aquele negócio de um falar para milhões. Agora são milhares falando para milhares.”
Para aqueles que têm a tal da “Leninite Aguda”, como eu, conseguem observar que muitas cenas exibidas no filme, já foram vistas antes pelo próprio canal do cantor no Youtube, como quando ele canta “ado-a-a-ado cada um no seu quadrado”; quando ele vem a Recife visitar Lula Queiroga e apresenta a música “A Mancha”; durante a gravação da música “Continuação” com seus três filhos. Momentos lindos também são quando da Inglaterra, ele mostra “Magra” à Anna Barrozo e ela, lá do outro lado do laptop, curte a música como ninguém; quando num momento de audição da música “O Céu é Muito”, ele e Arnaldo Antunes criam o fim da música com um “Acredite!”; quando ele fala que larga a faculdade para viver de música e seu pai diz que já tinha demorado demais; na cena em que ele discute sobre a essência e diferença de fazer o download de uma única música e de ouvir o álbum completo e na sequência. Tantos momentos que nos levam a sentir essa continuidade.
Lenine é isso, o encontro, a era, a comunhão, a cor. “Amor a morte a continuação”.
Para todos que têm “Leninite aguda” ou não, se tiverem a oportunidade, se deliciem com este documentário/making off de cenas lindas, de bom roteiro e boa sonoridade. 
Trailer - Continuação

Um comentário:

Ananda Cavalcanti disse...

num tava sabendo disso, mais do que interessante, flor! Beijos

eu tb sofro de lenine aguda! :~